Receita e PF desmontam esquema internacional de fraudes tributárias

Grupo atuava no Brasil, Paraguai, EUA e Taiwan e movimentava US$ 250 mi por ano em negócios com eletrônicos e artigos de informática
A Receita Federal do Brasil e a Polícia Federal deflagraram na manhã desta terça-feira (26/6) a Operação Columbus para desmantelar organização criminosa transnacional responsável por fraudes no comércio exterior e sonegação de impostos.

O grupo atuava no Brasil, Paraguai, Estados Unidos e Taiwan e movimentava, em média, US$ 250 milhões por ano. A Receita estima que as autuações contra as empresas que participam do esquema deverão atingir R$ 50 milhões sobre operações realizadas de 2004 a março de 2007.

As investigações duraram 11 meses e foram desenvolvidas em conjunto com o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, que atuou por meio do escritório U.S. Immigrations and Customs Enforcement (ICE).

Na operação, estão sendo cumpridos 32 mandados de busca e apreensão e sete de prisão temporária por 42 servidores da Receita Federal e 202 policiais federais. As ações concentraram-se em residências e empresas situadas no Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia. Também estão sendo realizadas buscas administrativas em Miami, com a participação de funcionários da Receita e PF.

Receita e PF suspeitaram do esquema a partir da entrada clandestina de eletrônicos e bens de informática no Brasil. De acordo com as investigações, a organização abastecia o mercado brasileiro com importações realizadas por meio de empresas terceirizadas, sem autorização da Receita Federal para esconder o real importador.

O uso de empresas fantasmas permitia a quadrilha operar de maneira anônima e quebrar a cadeia de tributação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), de forma a diminuir ilegalmente os valores a recolher. Os mesmos produtos importados eram novamente objeto de fraude tributária, já que o esquema fazia o faturamento das vendas em nome de empresas diversas daquelas que efetivamente venderam os produtos, usando empresa que existe somente no papel.

As apurações mostraram ainda que o mentor da organização procurou blindar seu patrimônio pessoal distribuindo bens e empresas em nomes de “laranjas”, além de simular que morava no exterior por meio de declaração falsa entregue à Receita Federal. As empresas do grupo passaram a ser controladas no Brasil por pessoas jurídicas estrangeiras, inclusive situadas em locais considerados paraísos fiscais.

Fonte: Coordenação de Imprensa da SRF

Data da Notícia: 26/06/2007 00:00:00

Gostou do notícia? Compartilhe em suas redes sociais

dafabet

iplwin

iplwin login

iplwin app

ipl win

depo 25 bonus

slot deposit pulsa

1win login

indibet login

bc game download

10cric login

fun88 login

rummy joy app

rummy mate app

yono rummy app

rummy star app

rummy best app

iplwin login

iplwin login

dafabet app

https://rs7ludo.com/

dafabet

dafabet

crazy time A

crazy time A

betvisa casino

Rummy Satta

Rummy Joy

Rummy Mate

Rummy Modern

Rummy Ola

Rummy East

Holy Rummy

Rummy Deity

Rummy Tour

Rummy Wealth

yono rummy

dafabet