Receita Federal aperfeiçoa cruzamento de dados

São Paulo, 21 de Setembro de 2004 – A Secretaria da Receita Federal (SRF) está expandindo a utilização do business intelligence (BI). Em 2002, a SRF iniciou o projeto que tem a supervisão do Serpro. Após analisar três produtos, a Secretaria escolheu a plataforma de BI da MicroStrategy. “Já tínhamos alguns projetos desenvolvidos internamente. Mas as soluções caseiras não suportavam a quantidade de dados da Receita”, afirmou Leni Veiga, gerente de DataWarehouse da Receita.

Hoje, o datawarehouse da SRF armazena três terabytes e 600 milhões de registros. Até o fim do ano, o volume deve dobrar, para seis terabytes. “Esse é o maior projeto de BI no governo no Brasil”, afirmou. Os dados da Receita foram dispostos em cinco visões.

O sistema já está sendo utilizado pela área de Arrecadação, Fiscalização e Administração. A SRF prevê ainda para este ano a implementação das visões Aduaneira e Auditoria. Com isso, o número de usuários saltará de mil para duas mil pessoas. O sistema de BI da MicroStrategy cobre vários níveis hierárquicos: secretários, superintendentes e mais de 150 delegacias e inspetorias.

O projeto envolve as soluções MicroStrategy Administrator, Intelligence Server, SDK, Architect, Desktop e OLAP Services. Por meio da visão Arrecadação, a Secretaria acompanha a arrecadação dos tributos federais administrados pela SRF. “O sistema permite a elaboração da previsão da arrecadação para o mês seguinte para determinar o gasto do governo”, afirmou a gerente. Outro recurso é o acompanhamento sistemático de pessoas jurídicas, que representam cerca de 70% da arrecadação.

O BI está ajudando a Secretaria na fiscalização dos contribuintes. Com a ferramenta, a SRF pode identificar possíveis fraudes e irregularidades. A partir do cruzamento dos dados das declarações entregues à Receita e informações externas, o sistema permite a seleção das propriedades rurais, pessoas físicas e jurídicas a serem fiscalizadas. “O sistema compara as informações das declarações e os dados que estão fora da Receita”, afirmou Leni Veiga.

A mesma função de seleção será utilizada no caso da Aduaneira. O funcionário da Receita poderá selecionar importadores e exportadores a fiscalizar. Voltada para a detecção de fraudes dentro da Receita, a visão Auditoria e Controle de Sistemas responderá pelo controle do uso dos sistemas eletrônicos da SRF. O sistema pode fornecer indícios de irregularidades, com a captura nos sistemas da SRF das identificações de acesso realizadas pelos usuários e a comparação com as ações dos contribuintes.

Já a visão Administração fornece indicadores estratégicos para a tomada de decisão. Os administradores da SRF têm acesso a relatórios gerenciais com informações de diversos sistemas da Secretaria, além de indicadores de outros órgãos. “Tudo isso é integrado. O valor real do BI vem do cruzamento das informações”, afirmou o diretor geral da MicroStrategy Brasil, Flavio Bolieiro.

A SFR desenvolveu um portal corporativo na intranet da Receita Federal para que os usuários possam acessar as informações do banco de dados. “Estamos trabalhando com certificação digital”, disse a gerente. Isso permitirá que outros órgãos tenham acesso ao sistema. A inclusão e exclusão de usuário são efetuadas por um sistema de controle interno da SRF. O sistema pode ser acessado de duas maneiras: com CPF/senha e Certificação Digital.

Fonte: Gazeta Mercantil

Data da Notícia: 24/09/2004 00:00:00

Gostou do notícia? Compartilhe em suas redes sociais

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp