MEI: saiba quais as exigências, deveres e direitos na hora de contratar um funcionário

O Microempreendedor Individual (MEI) é um regime jurídico simplificado para pequenos empresários no Brasil. Foi criado pelo governo brasileiro em 2009 para formalizar pequenos negócios e proporcionar-lhes acesso a benefícios e recursos legais. O MEI é uma das categorias que mais cresce e conta hoje com mais de 11 milhões de empreendedores formalizados, mas ainda existem muitas dúvidas quanto a este tipo de regime tributário. Uma das questões que mais gera dúvidas é em relação às contratações de funcionários. Por isso, confira as principais perguntas sobre o tema abaixo. O Microempreendedor pode ter funcionários? Sim, o Microempreendedor Individual (MEI) pode contratar um funcionário que receba o salário mínimo ou o salário pactuado para o cargo. No entanto, é fundamental lembrar que o quadro MEI é pensado para microempreendedores individuais, e ter um funcionário pode aumentar significativamente o custo e a complexidade da gestão de um negócio. Como empregador, o MEI deve cumprir certas obrigações legais, como registrar o empregado, pagar contribuições previdenciárias, conceder férias e licença médica e seguir as leis trabalhistas. O MEI também é obrigado a manter registros das horas de trabalho, salário e benefícios do empregado. O Projeto de Lei Complementar (PLP) 108/21, de autoria do senador federal Jayme Campos (DEM-MT), prevê aumentar o número de contratações do MEI para 2 dois funcionários. Entretanto, o projeto ainda não foi aprovado na Câmara, portanto, atualmente, até março de 2023, os MEI só podem contratar um funcionário, e caso o negócio cresça além disso, o MEI pode precisar transitar para outro regime jurídico, como a Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP), que permitem mais funcionários e têm diferentes requisitos fiscais e regulatórios. Quais os direitos trabalhistas do empregado de um Microempreendedor Individual? Salário mínimo ou piso da categoria quando houver; Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos; Férias anuais acrescidas de ⅓; Décimo terceiro salário; Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ; Pagamento mensal ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ; Duração do trabalho normal não superior a 8 horas diárias e 44 horas semanais (224 horas por mês) facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho; Horas extras, com pagamento de no mínimo 50% a mais que a hora normal; Remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; Vale transporte; Seguro-desemprego, em caso de demissão; Multa 40% sobre o FGTS em caso de dispensa sem justa causa; Aviso prévio proporcional ao tempo de serviço; Adicional de remuneração para as atividades insalubres ou periculosas; Salário maternidade. Ainda outros direitos podem ser estabelecidos por meio de Convenções Coletivas de Trabalho (CCT), como: cestas básicas, ticket alimentação, plano de saúde. Portanto, se o MEI pretende contratar um funcionário em 2023, tenha um bom planejamento para pagar todos os direitos do seu empregado.

Fonte: Contábeis

Data da Notícia: 14/03/2023 00:00:00

Gostou do notícia? Compartilhe em suas redes sociais