Entidades buscam conscientizar cidadão

Aclame realiza, em Novo Hamburgo, as ações que marcam o Dia da Liberdade de Impostos

A Associação da Classe Média (Aclame) realizará as ações e promoções que marcam o Dia da Liberdade de Impostos neste ano em Novo Hamburgo. Conforme o presidente da entidade, Fernando Bertuol, o posicionamento da associação não é contrário à cobrança de impostos, mas sim contra os altos valores pagos pela sociedade. “Não queremos o fim dos tributos, mas que eles sejam empregados corretamente, fazendo com que a população diminua seus gastos em vários benefícios, como saúde, segurança e educação”, diz Bertuol.

No ano passado, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) a Aclame iniciou um programa de educação sobre o sistema tributário em algumas escolas. “Explicamos como é a nota fiscal, o que são os impostos, quais os tributos cobrados pelos produtos.” Atualmente, 76 escolas municipais de Novo Hamburgo fazem parte do projeto, totalizando 2,6 mil alunos. Bertuol diz que o número atingido pelo projeto vai além disso, uma vez que as crianças repassam os conhecimentos aprendidos em casa para pais, irmãos e amigos.

Na campanha realizada pela Aclame no próximo dia 25, 1,5 mil alunos participarão da Caminhada da Consciência Tributária pelas ruas de Novo Hamburgo. Divididas em seis alas, elas apresentarão os temas relacionados à questão dos impostos, como a distribuição da carga tributária entre os governos, o peso dos tributos em cada tipo de produto e o destino do dinheiro arrecadado. “Queremos que as pessoas saibam que o município fica com a menor parte dos tributos, apenas 7%. Ao Estado cabe 25% e ao governo federal 68%”, explica.

A Secretaria Estadual da Fazenda também realiza um programa de educação fiscal nas escolas desde 2003. Segundo o assessor de Promoção e Educação Tributária da Receita Estadual, Alexandre Luiz Bortolini, o projeto faz parte do Programa Nacional de Educação Fiscal e é realizado em parceria com os municípios. “A missão é formar o cidadão e conscientizar a sociedade dos seus direitos e deveres como usuários do serviço público.” O projeto desenvolvido pela Secretaria Estadual da Fazenda capacita os professores da rede pública a ensinarem aos alunos, independente da disciplina sobre temas como por que são pagos os impostos, qual a sua importância e o que é feito com o dinheiro arrecadado.

“Formamos disseminadores de educação fiscal, já temos mais de 2 mil professores que participaram dos seminários no Rio Grande do Sul”, diz Bortolini. Até dezembro do ano passado, educadores de 253 municípios participaram do projeto. No total, desde sua implantação, 7 mil professores participaram do programa.

A Secretaria da Fazenda não dispõe ainda dos números de alunos que foram instruídos em educação fiscal, mas pretende montar indicadores para medir os resultados da abrangência do projeto até o final de 2007. “Percebemos que nos locais onde o programa é implantado o aluno valoriza mais a escola, diminuem as pichações e depredações, por exemplo. Ele dá mais valor aos bens que são oferecidos a ele”, destaca Bortolini.

Fonte: Jornal do Comércio

Data da Notícia: 24/05/2007 00:00:00

Gostou do notícia? Compartilhe em suas redes sociais

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp