Pis E Cofins: Créditos Sobre Serviços Prestados Por Empresas De Cartões De Crédito E Débito

Edmar Oliveira Andrade Filho

Em 18 de fevereiro de 2011 foi editado o Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 36, dispondo que o pagamento de taxas de administração para pessoas jurídicas administradoras de cartões de crédito ou débito não gera direito à apuração de créditos da Contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), por ausência de previsão legal.

 

Com o devido respeito pelas autoridades fiscais que emitiram tal opinião, o argumento da “ausência de previsão legal” é juridicamente pobre. Quando o referido ato (ADI n. 36) diz não há autorização expressa para a escrituração do crédito relativo a esse tipo de insumo, abstém-se de mencionar que não existe norma expressa a negar esse mesmo direito; ora, se o emissor do ADI considera que há norma proibindo a escrituração do crédito deveria apontar qual é essa norma. Para mim parece fora de dúvida razoável que a taxa de administração paga pela utilização de meios de pagamento fornecidos por terceiros – que é a essência dos negócios jurídicos realizados por intermédio de cartões de débito e de crédito – é um insumo inerente à comercialização que decorre de próprio contrato de compra e venda do qual emerge a receita tributável. O insumo que é remunerado pela taxa de administração é algo indispensável à existência da própria venda que dá origem à receita tributável. Logo, por essa razão, considero que o ato normativo em questão carece de fundamento legal.

Parece-me, contudo, que o tema deve ser abordado por um ângulo diferente. Considero que o valor da taxa de administração não constitui receita do vendedor porquanto nos casos em que há pagamento com cartões de débito e de crédito a administradora atua como parte integrante do contrato, como garantidora do pagamento perante o vendedor e como concessora de crédito ao comprador, se for o caso. Logo, nestas circunstâncias, há uma relação jurídica trilateral na qual a administradora é parte integrante do contrato firmado entre o vendedor e o comprador e destes com aquela. Para o vendedor, a venda corresponderá ao montante que vier a auferir, ou seja, o exato valor que vier a entrar em seus cofres que, como é notório, não inclui o valor da taxa cobrada pela administradora de cartões que integra a relação jurídica que dá origem à receita tributável pelo PIS e COFINS. A parcela correspondente à taxa de administração será considerada receita da administradora, e, portanto, se não for excluída da receita do vendedor estará caracterizado um verdadeiro bis in idem, em que uma mesma riqueza é tributada duas vezes pelo mesmo ente a partir de um mesmo negócio jurídico.

 

Edmar Oliveira Andrade Filho

Advogado e Parecerista em São Paulo. Sócio de Andrade e Ramalho Advogados Associados. Autor do livro “Créditos de PIS e COFINS sobre Insumos”, de 2010, da Editora Prognose.

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais

betvisa

iplwin

iplwin login

iplwin app

ipl win

1win login

indibet login

bc game download

10cric login

fun88 login

rummy joy app

rummy mate app

yono rummy app

rummy star app

rummy best app

iplwin login

iplwin login

dafabet app

https://rs7ludo.com/

dafabet

dafabet

crazy time A

crazy time A

betvisa casino

Rummy Satta

Rummy Joy

Rummy Mate

Rummy Modern

Rummy Ola

Rummy East

Holy Rummy

Rummy Deity

Rummy Tour

Rummy Wealth

yono rummy

dafabet

Jeetwin Result

Baji999 Login

Marvelbet affiliate

krikya App

betvisa login

91 club game

daman game download

link vào tk88

tk88 bet

thiên hạ bet

thiên hạ bet đăng nhập

six6s

babu88

elonbet

bhaggo

dbbet

nagad88

rummy glee

yono rummy

rummy perfect

rummy nabob

rummy modern

rummy wealth

jeetbuzz app

iplwin app

rummy yono

rummy deity 51

rummy all app

betvisa app

lotus365 download